Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 28, 2010

É sábado!!

Nossa, sábado vai ser a festinha da Ana e o tempo está correndo contra mim. Ainda tenho que ver algumas coisas que estão pendentes e estou quase arrancando os cabelos. Por outro lado, estou super empolgada, louca pra ver o resultado final da organização.

Confesso que não foi tão horripilante quanto pensava, todos os passos da organização. Mas eu e o Rafa concluímos que ano que vem ou faremos num buffet ou faremos uma coisa menor em casa. O valor que gastamos foi bem menor do que o do ano passado, isso é fato, mas a correria foi grande. Lista de convidados, comidas, bebidas, organizar tudo, decoração. Ainda bem que eu tenho ajuda da dinda, ou estaria FRITA!

Mas, o mais importante é ver toda a empolgação da Ana com todos os detalhes. Ela está amando. Fica toda serelepe dizendo que vai ter "festa do vissário", isso não há dinheiro no mundo que pague.

Quinta e sexta estarei off. Vou fazer toda a correria final, pagar fornecedores, checar tudo e daí sábado vamos fazer a decoração do…

Terrível Terrible Two... será??

Ana Luiza sempre foi uma menina (relativamente) tranquila. Mas de uns dias pra cá, a menininha adotou uma atitude nada bacana. Qualquer coisa que a gente pede é não, se a negativa vem da gente é escândalo certo. Tudo tornou-se difícil e desgastante... as vezes me questiono se ela não está possuída por um ser de outro mundo. Juro!
Daí, lembrei daquela fase terrível: TERRIBLE TWO, a crise dos dois anos. Por um lado, fiquei em pânico, pensando como vou sobreviver sem ter um ataque, mas por outro, fiquei "sossegada" por saber que é isso e que essa fase passa. O jeito vai ser tomar doses extra de paciência.
Quando os ataques de birra começam, bem que tento ser racional, conversar, fazer carinho. Mas me sinto tão frustrada, tão impotente, que acabo surtando e gritando... E, sabem como é, ataque de birra não tem hora e nem local marcado. Acontece em casa, no mercado, na casa da vó e quanto mais público, maior é o escândalo. É a gente dizer não que ela surta. E não hão Cristo que acal…