Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho 20, 2010

Versão feminina do Hellboy

Vocês já assistiram os filmes do Hellboy? Aquele cara vermelhão, com rabo, chifre, durão e com um humor quase negro? Então, depois de alguns acontecimentos beeeeemmmm chatos e de muita reflexão, cheguei à conclusão de que EU, Fabiana Cristina, sou a versão feminina dele. Só pode!

Sempre fui meio (totalmente) sem paciência. Não suporto grosseria e nem insubordinação. Acho isso o fim! Não dou instruções mostrando os dentes e nem tenho saco pra perguntinha idiota. Alguém já dizia: "Pergunta idiota, tolerência zero!". Não sou esquina do mundo e nem muro das lamentações. Gosto de críticas, mas de críticas construtivas e com embasamento. Não tenho o menor tato com as "vítimas do mundo" e auto piedade, pra mim, é um dos piores defeitos do mundo. Se esse tipo de coisa já é bem pé no saco no dia a dia, imagine isso em ambiente de trabalho!

Daí, que ontem, eu tive um problemão no meu trabalho. Juntando tudo o que eu mencionei anteriormente, que me deixou em estado de fúria por…

Passou

O dia foi tenso, estranho pacas... mas passou...

Aproveito o fim dele pra ver a Ana Luiza sorrindo enquanto eu posto aqui... Sentadinha com minhas agendas "das antigas", catando todos os adesivos e colando nela mesma. Em pensar que um dia eu fui tão ciumenta das minhas agendas e hoje elas viraram brinquedos nas mãos da minha filhota...

É só ouvir a voz dela, sentir seu cheiro que as coisas parecem insignificantes...

Filha, obrigada por vc existir!!

Te amo, gordita!!

Saudade...

"Saudade, palavra triste quando se perde um grande amor... Na estrada longa da vida, eu vou chorando a minha dor..."

Hoje acordei com uma música na cabeça e com uma imagem também. A imagem da minha mãe. Lembrei quando era pequena e acordava com os sons da cozinha, a voz da minha mãe, cantando. Mas a casa estava em silêncio. Sem sons. Justo hoje, quando passo por um momento tão delicado, um momento tão meu que pode mudar tudo e também pode não mudar nada. Ai, mãe, por que vc teve que ir? Por que você não está aqui comigo pra me dar colo, quando a única vontade que tenho é chorar e ser filha novamente?

Achava que era forte, que não sentiria tanto a sua falta. Mas desde que você foi, eu fiquei meio sem norte, sem rumo. Daí, me tornei mãe. Achei que estava completa, mas sinto tanta falta de ser filha. De ser amada incondicionalmente, de ter colo, carinho, afeto sem limites. Ninguém no mundo pode me dar o que eu preciso agora. Ninguém.

Sei que se vc estivesse aqui, eu poderia chora…

Sinais que o corpo manda...

Quando decidimos engravidar pela primeira vez, quase não conhecia meu corpo e nem dava muita trela aos sinais que ele emitia. De verdade. A única coisa que eu fiz foi acompanhar meus ciclos através do site tabelinha. Só. Ao meu corpo, não dava muita atenção.

Nem lembro direito se contava os dias férteis e se tinha relação "programada". Essas coisas simplesmente sumiram da minha cabeça. Como é que pode? Como fui esquecer de tudo? Não faço a menor idéia.

Depois que a Ana Luiza nasceu, eu passei a prestar mais atenção ao meu corpo. Parece que quando a gente se torna mãe fica mas sensível. Falam daquele sexto sentido que a mulher tem, mas depois de se tornar mãe a gente desenvolve sétimo, oitavo, "n" sentido. Muito engraçado isso. Parece que viramos meio "super heroínas", sei lá. Ficava atenta aos barulhos, reações e expressões daquele serzinho pequenino e dependente e acabei transferindo esses sentidos pra mim mesmo. Deixa eu explicar melhor, que parece conve…

I LOVE FINAL DE SEMANA!

Amigos reunidos, churrasco, muita risada... Com direito a vitória do Brasil na Copaaaaaa!!!

Ah, foi tudo de bom!!!

Beijos e boa semana!!

Fá!