Pular para o conteúdo principal

Adaptação

Eu achava que seria mais fácil me adaptar à rotina de um RN novamente, mas não está sendo muito tranquilo não. Como a gestação, o Gustavo é o bebê de temperamento completamente diferente da Ana Luiza. Ele é exigente e tem pulmões que toda a vizinhança já deve conhecer. Porque ele bota a boca no mundo e não há nada, além de peito, que o faça parar.

Daí eu me pego com aquelas inseguranças que me rondaram na primeira vez, quando era marinheira de primeira viagem: "será que é cólica?", "frio?", "fome?!", "será que meu leite é suficiente?". É como voltar no tempo.

Ele também não é lá muito fã de dormir. No peito, ele capota. Colocou no carrinho ou no berço, ele desperta e lá vem chororô. A noite tem sido mais calmo do que esperado, talvez por conta das noites insones antes do nascimento dele, eu já estivesse acostumada. Mas ele tem acordado 2 vezes pra mamar, mas adora dar uma reclamada entre as mamadas. Com ele não estamos fazendo Cama Compartilhada, porque ele é muito "pequeno" e porque a Ana Luiza dorme conosco e se mexe a noite toda. Corre o risco dele tomar um chute.

Hoje está sendo nosso primeiro dia sozinhos. A Ana Luiza foi pra escola à tarde e ficamos só nós dois. Não consegui fazer muita coisa em casa, mas pelo menos o lixo foi esvaziado e as camas arrumadas, de resto: TUDO DE PERNAS PRO AR.

A Ana Luiza ronda meus pensamentos 25h por dia. Ela tem sido super querida com o irmão, mas eu me sinto em falta com ela. Parece que toda hora que ela me chama estou fazendo alguma coisa com o Gustavo: trocando, amamentando, embalando. Eu me sinto muito culpada, essa é a verdade. Tenho procurado estar com ela sempre, ler histórias, dormir agarradinha, mas mesmo assim a culpa me consome. Talvez sejam os hormônios, sei lá.

Outra coisa, a AMAMENTAÇÃO. Como já disse, Gustavo adora um peito, mas parece que meu leite é pouco. Não fico com os seios bombando como ficavam quando a Ana mamava. Eles até dão uma inchadinha, mas nada comparado ao que eram. O que será que acontece? Será isso normal? Outra coisa, estou com os dois mamilos feridos. E dói a cada pegada dele, a cada sugada. Dia desses amamentei aos prantos, tamanha era a dor. Bem, a consulta do rapazinho será dia 28/03, vamos ver o que a pediatra terá a dizer.

Agora, finalmente, depois de zilhões de embaladas, ele dorme feito um anjinho no carrinho. Vou aproveitar pra fazer as coisas da casa, pois já são quase 16h e daqui duas horinhas minha filhota e o maridão chegam!

Fui!


Comentários

Isa e Sara disse…
Oie...Ai menina qdo li esse post me deu até vontade de chorar...rs...Sei q. vai ser dificil no começo pra mim tb..e tb sei q. vou me sentir culpada em relação a Sara...Enfim, um consolo pra nós é q. acho q. todo mundo q. tem dois filhos (ou mais) passa por isso...E sobrevive! É uma fase de adaptação e logo tudo estará bem...Dizem q. um nunca é igual ao outro né? Logo vc pegará as manhãs de ligar c/ o Gustavo e aí td ficará mais fácil sobrando mais tempo p/ Luiza...Bjos gdes p/ vcs!
Daiane disse…
Nossa Fá, eu ia lendo e parecia q estava lendo a minha historia...tudo o q vc contou q esta passando com o pequenino eu passei com a Julia...ai ai, eu fico vendo bebezinhos assim e me dá uma vontade de ter outro mas depois vem aqueles dias corridos, estressantes, encomenda pra entregar, cachorro com fome , criança chorando, passarinho arrancando as penas( e isso é verdade minha piriquita assassinou o esposo e arrancou todas as penas q alcançou, esta parecendo um piru)...e depois de tudo isso desisto...
Mas não se preocupe, aos poucos as coisas entram no lugar e vc vai conseguir mais tempo para a Ana Luiza e as dificuldades serão superadas e esquecidas...só me lembrei da dificuldade q foi com a Julia qdo li a sua com o Gustavo,rsrsrsrs
Beijos
*Daiane
Daniely disse…
Fah,

Sei bem o que voce ta passando, aqui foi a mesma coisa, nao conseguia fazer nada, nem forrar a cama,amiga! O conselho que posso te dar, eh aderir ao sling de argola, foi com ele que eu comecei a poder fazer as coisas em casa nas primeiras semanas de vida do Rapha e dar mais atencao ao Biel. Fica sussa, que ja ja as coisas se encaixam e voce consegue manejar melhor a "divisao" da atencao.. os hormonios tambem nao dao tregua pra gente... mas forca na peruca!
Quanto aos seios nao ficarem regurgitados como na primeira vez que voce amamentou, eh normal, comigo tambem foi assim, fica tranquila e nao entra na noia que seu leite eh pouco nao... lembra que a oferta sera sempre de acordo com a demanda... e se hidrata bem que ta tudo tranquilo...
Pros peitos feridos, voce pode por a parte interna da casca de banana e o proprio leite materno pra ajudar a cicatrizar... se voce tiver dificuldade em corrigir a pega, em bancos de leite eles podem te ajudar com isso. Qualquer duvida sobre amamentacao que voce tiver tendo, eu to aqui a disposicao pra te ajudar,ta? Soh eh me mandar uma msg via orkut mesmo, lindona :)
Grande beijo pra essa familia linda!
Dani e afilhadas disse…
Parabéns pela chegada do príncipe. Sobre dar atenção para a Ana Luiza, vou te dar uma dica do que fazia quando estava com minhas duas afilhadas (irmãs), sendo uma recém nascida. Simplesmente se precisava embalar, eu fazia isso tentando ignorar a existencia dela no meu colo e conversava com a mais velha, se possível até brincava de jogo.... Mesmo que precise ficar com o pequeno no colo, a idéia é tentar "esquecer" dele e dar toda atenção para a maior.
Bjs
Dani e afilhadas
www.afilhadosamados.blogger.com.br

Postagens mais visitadas deste blog

Enjôo x Fome

Já estamos na 9ª semana de gestação. Nessas horas eu acho que o tempo se arrastaaaaaaaaa, mas tudo bem. A novidade, não tão novidade assim é que os enjôos não deram trégua. Parece até que pioraram... Oh, céus!


Eu acordo já com dores e com uma vontade horrenda de colocar tudo (?) pra fora. Mas ao mesmo tempo que estou super enjoada, eu quase morro de fome. Mas fome por comida, não por café da manhã. Eu tenho vontade de matar um pratão de feijoada com muita costelinha, bacon e arroz. Daí, penso nisso e passo mal... hahahahahaha... não consigo entender... sério!

Hoje mesmo, acordei e quase botei os bofes pra fora. Na frente da Ana Luiza. Imaginem a carinha de assustada que ela fez. Ainda bem que foi só alarme falso...


O que tem ajudado, pouco, é água bem gelada, com gás. Eu que estava achando que a Coca-Cola iria ser minha melhor amiga, me enganei. Até tomo, mas prefiro água com bolinhas - como diz a Donana. Parece que aquele fundinho doce do gosto da Coca me deixa ainda mais enojada.


Outras…

Doença da mão,pé e boca - Doencinha das Trevas

Sábado, casório pra gente ir. Quando é comecinho de tarde, Gu começa a apresentar uma febre muito da esquisita. Alta, sem nenhum outro sintoma. Um bichinho me cutucou, lembrei do bilhete que veio na agenda sobre casos de Roséola. Rá, só pode ser isso. Anti-térmico, colo, água, paciência. Adeus festerê noturno. Nossa balada da madruga será com um bebezão com febre. 
Quando é de noite, vejo que ele tem dificuldades pra engolir. Nem o mama vai direito. Dispenso a roséola e penso: "Garganta! Só pode!" Noite agitada, bebê com febre, dor, chororô. Seguimos em turno, eu e Rafa, dando conta do mal estar do mocinho. Quando brilha o Sol, simbora pro PS. A febre tinha dado trégua, mas garganta é dureza, muitas vezes só ATB resolve e ATB só com receita médica.
Fila, espera, várias crianças com o mesmo quadro. Mudança de tempo é nisso que dá. A plantonista nos atende, aquele protocolo normal, quando vê a garganta, dispara: "Olha só como está inflamada!". Parecia uma couve-flor…

Adenóide

Ana Luiza sempre teve um sono meio agitado, mas eu achei que isso era dela. Mas dormindo com a gente, mesmo agitada, ela dormia.
Então, um belo dia, ela foi dormir na casa da avó e ela me perguntou como a gente conseguia dormir com a barulheira e agitação da Ana. Dei risada, porque achava que era coisa de avó, mas uma luzinha vermelha acendeu e comecei a prestar atenção nas madrugadas. 
Gente, que dó! Que MENAS MAIN! Ana Luiza ronca horrores, chega a ficar sem ar, respira só pela boca... Comentei com a pediatra e ela me disse que poderia ser adenóide. Lá fui eu "googlar" o que era essa tal de adenóide. Grosseiramente falando é uma "carninha" que se forma no fundo do nariz e que atrapalha a entrada de ar. Ela pode se resolver sozinha até os 6 anos, mas alguns casos resolve-se com uma cirurgia simples. Cirurgia = MEDO!
Fizemos o raio-X solicitado e apareceu um comprometimento de 2/3. 2/3!!!! PQP!!! Então, a pediatra prescreveu homeopatia para que fossemos acompanhan…