Pular para o conteúdo principal

Como eu QUASE desmamei meu filho - Ainda sobre Amamentação

Desde que nasceu Gustavo recebeu complemento de LA. Primeiro no copinho, no conta gotas e na seringa. Mas acabei me deixando "seduzir" pela facilidade da mamadeira. Poucas mamadeiras de início, mas a coisa foi se desenrolando e quando eu vi, meu leite era o complemento e não ao contrário.

As mamadas no peito eram estressantes. Ele não queria, chorava, esperneava, se jogava pra trás. E eu chorava, me sentia sem rumo, sem saber o que fazer. Eu estava conseguindo manter a mamada de antes de dormir e as da madrugada, mas elas estavam ficando difíceis também e aquilo estava acabando comigo e com o meu leite também.

Até que teve uma madrugada em que o Gustavo acordou, ofereci o peito, ele se irritou, eu insisti e ele berrou por 2h a fio no colo do pai até cair no sono. Foi naquele instante que eu me toquei: "Pra quê essa p%$$#¨*(*A de mamadeira? Eu tenho leite, meu filho TEM que mamar o melhor alimento e isso EU TENHO!"

Era Semana Mundial de Amamentação e cada recusa do meu filho em mamar no meu peito me arrancava um pedaço do coração. Lembro que o Rafa chegou em casa e eu chorei litros, dizendo o quanto estava infeliz por ter feito a cagada de desmamar o Gu. O Rafa, meu marido maravilhoso, pediu que eu me acalmasse e sentamos nós 3 no sofá. Coloquei o Gu na posição de mamar, abri a blusa e o Rafa começou a conversar com ele, explicou que mamá de mãe é melhor, que ele é pequeno e PRECISA de leite materno e, como num passe de mágica, ele voltou a mamar. Eu chorei de emoção, segurando meu filho e meu marido. Foi tão emocionante quanto o seu nascimento, parecia que nossas almas estavam se reencontrando, foi um momento do qual eu nunca irei esquecer.

Os primeiros dias foram complicados, o leite estava diminuído, custava a descer. A alma do negócio foi ter muita paciência, tomar litros de água, chá da mamãe da Weleda, suco de uva e botar o rapazinho pra sugar. Assim, a produção de LM voltou a se estabilizar e tenho leite de sobra pro meu gorduxinho.

Quando estamos juntos, ele mama só LM. Na escolinha, as vezes, rola um mamá de LA, mas como já começamos a introdução de sólidos (pra outro post) ele tem feito lanchinho da tarde mesmo, o que evita de usar a mamadeira do mal.

Muitas mães relatam que o filho não desmamou por conta de mamadeira, mas o Gu estava seguindo o caminho normal: mamadeira era mais fácil, leite vinha rápido e ele estava ficando com preguiça de sugar o seio, impaciente por ter que esperar o LM descer. Não foi por falta de informação que eu dei a mamadeira, foi por comodismo mesmo e junto a isso a burrice, afinal EU SABIA muito bem o que iria acontecer. Por sorte, tenho um marido maravilhoso, que ficou de meu lado (como sempre) e me incentivou a não desistir!

Estou muito, muito feliz por ele ter voltado a mamar no peito. Não me importo com blusa molhada na madrugada, com cheiro de leite ao invés de perfume. O que me importa é meu filhote receber o melhor alimento! E esse alimento SÓ EU TENHO!

Comentários

Jamila Maia disse…
Parabéns, Fá! Que sua história inspire outras mães que todo dia vivem algo parecido. :)
Um beijo!
Than disse…
Fa, por aqui aconteceu assim tb.
Anna estava com quase 4 meses e eu comecei a dar LA na mamadeira pq eu ia voltar a trabalhar...e o "normal" aconteceu: ela nao quis mais saber do peito! Eu até insistia, mas nao rolou mesmo!
Fiquei chateada sim, mas paciencia!
Qdo ela fez 6 meses, eu ja nao tava mais trabalhando, eu percebi q ela começou a querer mamar denovo. Dei. Ela mamava um pouco e logo desistia! Dai passei a nao dar mesmo!
Hj sinto uma saudade louca de amamentar!

Mas q bom q o Gu voltou a mamar denovo e mamar BEM. Graças a Deus. Dê o peito o maximo q der Fa!

Bjos
Flávia disse…
Que lindo Fá, me emocionei lendo,às vezes quero ceder ao la, mas desisto logo em ver meu filho tão seguro e protegido :-)

Postagens mais visitadas deste blog

Enjôo x Fome

Já estamos na 9ª semana de gestação. Nessas horas eu acho que o tempo se arrastaaaaaaaaa, mas tudo bem. A novidade, não tão novidade assim é que os enjôos não deram trégua. Parece até que pioraram... Oh, céus!


Eu acordo já com dores e com uma vontade horrenda de colocar tudo (?) pra fora. Mas ao mesmo tempo que estou super enjoada, eu quase morro de fome. Mas fome por comida, não por café da manhã. Eu tenho vontade de matar um pratão de feijoada com muita costelinha, bacon e arroz. Daí, penso nisso e passo mal... hahahahahaha... não consigo entender... sério!

Hoje mesmo, acordei e quase botei os bofes pra fora. Na frente da Ana Luiza. Imaginem a carinha de assustada que ela fez. Ainda bem que foi só alarme falso...


O que tem ajudado, pouco, é água bem gelada, com gás. Eu que estava achando que a Coca-Cola iria ser minha melhor amiga, me enganei. Até tomo, mas prefiro água com bolinhas - como diz a Donana. Parece que aquele fundinho doce do gosto da Coca me deixa ainda mais enojada.


Outras…

Doença da mão,pé e boca - Doencinha das Trevas

Sábado, casório pra gente ir. Quando é comecinho de tarde, Gu começa a apresentar uma febre muito da esquisita. Alta, sem nenhum outro sintoma. Um bichinho me cutucou, lembrei do bilhete que veio na agenda sobre casos de Roséola. Rá, só pode ser isso. Anti-térmico, colo, água, paciência. Adeus festerê noturno. Nossa balada da madruga será com um bebezão com febre. 
Quando é de noite, vejo que ele tem dificuldades pra engolir. Nem o mama vai direito. Dispenso a roséola e penso: "Garganta! Só pode!" Noite agitada, bebê com febre, dor, chororô. Seguimos em turno, eu e Rafa, dando conta do mal estar do mocinho. Quando brilha o Sol, simbora pro PS. A febre tinha dado trégua, mas garganta é dureza, muitas vezes só ATB resolve e ATB só com receita médica.
Fila, espera, várias crianças com o mesmo quadro. Mudança de tempo é nisso que dá. A plantonista nos atende, aquele protocolo normal, quando vê a garganta, dispara: "Olha só como está inflamada!". Parecia uma couve-flor…

Adenóide

Ana Luiza sempre teve um sono meio agitado, mas eu achei que isso era dela. Mas dormindo com a gente, mesmo agitada, ela dormia.
Então, um belo dia, ela foi dormir na casa da avó e ela me perguntou como a gente conseguia dormir com a barulheira e agitação da Ana. Dei risada, porque achava que era coisa de avó, mas uma luzinha vermelha acendeu e comecei a prestar atenção nas madrugadas. 
Gente, que dó! Que MENAS MAIN! Ana Luiza ronca horrores, chega a ficar sem ar, respira só pela boca... Comentei com a pediatra e ela me disse que poderia ser adenóide. Lá fui eu "googlar" o que era essa tal de adenóide. Grosseiramente falando é uma "carninha" que se forma no fundo do nariz e que atrapalha a entrada de ar. Ela pode se resolver sozinha até os 6 anos, mas alguns casos resolve-se com uma cirurgia simples. Cirurgia = MEDO!
Fizemos o raio-X solicitado e apareceu um comprometimento de 2/3. 2/3!!!! PQP!!! Então, a pediatra prescreveu homeopatia para que fossemos acompanhan…