Pular para o conteúdo principal

De volta para a rotina

Depois que quase 3 meses trabalhando apenas no período da tarde, segunda-feira retomo minha vida profissional em período integral.

Esses 3 meses, profissionalmente falando, foram satisfatórios, mas muito, muito mais corridos e apertados do que eu imaginava. Trabalhar por apenas 4h por dia no escritório foi pouco, mas por outro lado, como mãe, foi essencial pra cuidar dos meus filhotes. Explico...

Gustavo começou a ir pra escolinha alguns dias antes de completar 4 meses, ainda não comia, apenas mamava... LM e LA. Foi então que eu, sozinha, optei por começar a introdução de sólidos. Essa foi a maneira que encontrei de substituir o LA e manter ele apenas no peito em LD. Como trabalhava apenas a tarde, pude acompanhar de pertinho suas reações às frutas e aos novos sabores e texturas que começavam a fazer parte da sua dieta. EU acho mega importante essa fase de introdução de sólidos e acredito que ninguém melhor do que a mãe pra acompanhar esse comecinho. Ah, e durante as manhãs ainda podia insistir no peito, já que o Gustavo prefere comidinhas ao leitinho da mamãe, é mole?! hehehehehehehe

Ana Luiza também seguia o cronograma do irmão: escola só a tarde! Ficar em casa com ela serviu pra adaptação dela ao novo integrante da família. Não queríamos que ela se sentisse isolada ou rejeitada, passando o dia todo na escola enquanto o irmão ficava em casa. Durante as manhãs ela podia dormir um pouquinho mais, tomar seu mamá sossegada, assistir seus desenhos e brincar comigo e com o irmão. Ela entende perfeitamente que o Gu chegou pra somar e não pra dividir e se sente segura em relação ao nosso amor por ela. Lógico que rola um ciuminho vez ou outra, mas isso também faz parte de um desenvolvimento saudável.

Confesso que ficar com duas crianças, sozinha, sem empregada, babá ou ajuda de viva alma é corrido e por muitas vezes estressante. Tem horas que a birra da Ana Luiza coincidia com o choro de sono e indignação do Gustavo e daí a casa virava um pandemônio, um Deus nos acuda, o jeito era respirar fundo, colocar um em cada perna e fazer o possível para acalmá-los. Mas também tem aqueles momentos em que as gargalhadas e barulhinhos fofos acontecem juntos, que a irmã faz um carinho no irmão, que a Ana Luiza me acode quando estou fazendo almoço e o Gu começa a chorar... tem aquele momento menininha, de arrumar os cabelos da minha pequena, de colocar a roupa do balé... uma troca de fralda que vira bagunça e gargalhadas garantidas... Momentos como esses, nenhuma choradeira vai me fazer esquecer!!!

Ah, em tempo, estando em casa eu pude acompanhar as primeiras viradas do Gustavo, ajudar nas lições de casa da pequena e, TCHARAMMMMMM, achar os 3 dentes do pequeno: UM CANINO e os DOIS DENTINHOS DE BAIXO!!! \o/ Hehehehehehe

Mas voltando ao meu retorno ao trabalho o dia todo... já fiz um test drive dia desses. Tinha uma reunião importante pela manhã e precisei deixar as crianças o dia todo na escola. Foi relativamente tranquilo. Apesar de várias acordadas na madrugada, de me arrumar em tempo recorde, tudo deu certo. Como não tenho horário fixo pra entrar, deixei os pequenos e às 8:40 já estava no escritório. Trabalhei, fiz minha reunião e depois, cansada, recarreguei as baterias pegando os pequenos na escola e dando muitos beijos e esmagos em cada um!

Bom final de semana!

Comentários

Já inscreveu seu filho (a) no sorteio que o Atelier Graça Veloso está fazendo?
Participe do sorteio do Conj. bebê 3 peças e concorra a uma lindo conjunto para o seu bebê, composto de 1 toalha de capuz, 1 babadouro tipo camiseta e 1 toalha de mão bordados.

Inscreva-se já: http://www.atelierveloso.com/

Boa sorte, desde já!!!
Carol Garcia disse…
nossa!!!!
quanta novidade!
tá, sei que tõ desnaturada e não passo aqui faz um século...
e não é que toda mãe tem o poder de resolver os mais difíceis quebra-cabeças????
kkkkk
bjo

Postagens mais visitadas deste blog

Enjôo x Fome

Já estamos na 9ª semana de gestação. Nessas horas eu acho que o tempo se arrastaaaaaaaaa, mas tudo bem. A novidade, não tão novidade assim é que os enjôos não deram trégua. Parece até que pioraram... Oh, céus!


Eu acordo já com dores e com uma vontade horrenda de colocar tudo (?) pra fora. Mas ao mesmo tempo que estou super enjoada, eu quase morro de fome. Mas fome por comida, não por café da manhã. Eu tenho vontade de matar um pratão de feijoada com muita costelinha, bacon e arroz. Daí, penso nisso e passo mal... hahahahahaha... não consigo entender... sério!

Hoje mesmo, acordei e quase botei os bofes pra fora. Na frente da Ana Luiza. Imaginem a carinha de assustada que ela fez. Ainda bem que foi só alarme falso...


O que tem ajudado, pouco, é água bem gelada, com gás. Eu que estava achando que a Coca-Cola iria ser minha melhor amiga, me enganei. Até tomo, mas prefiro água com bolinhas - como diz a Donana. Parece que aquele fundinho doce do gosto da Coca me deixa ainda mais enojada.


Outras…

Doença da mão,pé e boca - Doencinha das Trevas

Sábado, casório pra gente ir. Quando é comecinho de tarde, Gu começa a apresentar uma febre muito da esquisita. Alta, sem nenhum outro sintoma. Um bichinho me cutucou, lembrei do bilhete que veio na agenda sobre casos de Roséola. Rá, só pode ser isso. Anti-térmico, colo, água, paciência. Adeus festerê noturno. Nossa balada da madruga será com um bebezão com febre. 
Quando é de noite, vejo que ele tem dificuldades pra engolir. Nem o mama vai direito. Dispenso a roséola e penso: "Garganta! Só pode!" Noite agitada, bebê com febre, dor, chororô. Seguimos em turno, eu e Rafa, dando conta do mal estar do mocinho. Quando brilha o Sol, simbora pro PS. A febre tinha dado trégua, mas garganta é dureza, muitas vezes só ATB resolve e ATB só com receita médica.
Fila, espera, várias crianças com o mesmo quadro. Mudança de tempo é nisso que dá. A plantonista nos atende, aquele protocolo normal, quando vê a garganta, dispara: "Olha só como está inflamada!". Parecia uma couve-flor…

Adenóide

Ana Luiza sempre teve um sono meio agitado, mas eu achei que isso era dela. Mas dormindo com a gente, mesmo agitada, ela dormia.
Então, um belo dia, ela foi dormir na casa da avó e ela me perguntou como a gente conseguia dormir com a barulheira e agitação da Ana. Dei risada, porque achava que era coisa de avó, mas uma luzinha vermelha acendeu e comecei a prestar atenção nas madrugadas. 
Gente, que dó! Que MENAS MAIN! Ana Luiza ronca horrores, chega a ficar sem ar, respira só pela boca... Comentei com a pediatra e ela me disse que poderia ser adenóide. Lá fui eu "googlar" o que era essa tal de adenóide. Grosseiramente falando é uma "carninha" que se forma no fundo do nariz e que atrapalha a entrada de ar. Ela pode se resolver sozinha até os 6 anos, mas alguns casos resolve-se com uma cirurgia simples. Cirurgia = MEDO!
Fizemos o raio-X solicitado e apareceu um comprometimento de 2/3. 2/3!!!! PQP!!! Então, a pediatra prescreveu homeopatia para que fossemos acompanhan…