Pular para o conteúdo principal

Desmame

Amamentando Gustavo com 7 meses

Ontem comecei a escrever um post sobre a dificuldade que EU estou enfrentando frente ao desmame do Gustavo. Ele está se desmamando, por livre vontade, assim, do nada... E eu estou super triste porque eu tenho planos de continuar amamentando por um LOOOOOONGO tempo.

De uns dias pra cá ele passou a rejeitar o seio. Era só colocar na posição de mamar que ele berrava, chorava, esperneava, como se estivesse sendo vítima de tortura. Um verdadeiro caos. E eu insistia... ele chorava de um lado e eu de outro. Até que ele cansava e mamava, já que eu não cedia. Mas era mamar por 5 segundos, perceber o que estava acontecendo e começar todo o chororô novamente. Uma coisa estressante demais, pra mim e pra ele.

Ele não estava usando mamadeira para leite, somente para chá, suco, água e soro (ele teve uma mega virose, tadico!). Mas pelo jeito foi o que bastou pra ele preferir a famigerada mamadeira. Nosso esquema de amamentação estava assim: mamava de manhã, de noite e na madrugada. Nunca liguei pra acordar e amamentar, adorava! Estavamos em um esquema que dava certo... eu estava feliz porque ele ainda mamava e ele recebia os nutrientes importantes do LM. Até que nem de madrugada, grogue de sono, ele queria aceitar o peito.

Ontem, a contra gosto, cedi a mamadeira. E ele mamou tudo... ficou todo feliz e serelepe depois, brincando, rolando e rindo pelo chão da sala. Antes de dormir, banho relaxante, pijaminha e fomos pro quarto. Milagrosamente, ele pegou o peito. Mamou um, mamou o outro e capotou. Quando acordou de madrugada, não quis saber, xilicou e só sossegou depois de 240ml de mamadeira. E dormiu tranquilo (ou dopado de mamá) até hoje de manhã.

Eu ainda não desisti do peito... vou continuar oferecendo. Mas resolvi não estressar meu filho, não me estressar. A minha insistência estava causando um efeito muito negativo. O Gustavo estava nervoso, choroso, no banho era um caos, ele gritava, esperneava e a hora do mamá estava virando a hora do pesadelo, pra ele e pra mim.

Essa estrada, certamente, vai nos levar ao desmame. Por um lado, fico feliz porque consegui manter a amamentação até agora (ele quase desmamou com uns 3/4 meses), porque não desisti quando enfrentei as primeiras dificuldades (pouco leite, bico rachado, seio empedrado)... enfim, talvez eu esteja de "consolando" pra não ficar tão frustrada por não ter conseguido por mais tempo. Sabe-se lá!

Assim, da posição em que estou agora, de mãe quase desmamada, fico me perguntando, como é que uma mãe ESCOLHE não amamentar? Amamentar foi o momento mais sublime e de mais pura felicidade que eu já tive. Ter o poder de nutrir fisicamente e emocionalmente um serzinho tão frágil é indescritível. Tenho certeza de que terei muita, mas muita saudade desses momentos!!


Comentários

Dione disse…
Ai Fá, que pena! Mas é assim mesmo, cada um tem seu tempo. Não sei se foi a mamadeira não, pq já cansei de ouvir de crianças que se desmamaram sem nunca ter tomado nada na danada. É dele. Não força não, qualquer coisa vc tenta tirar o leite e dar para ele na mamadeira (eu, Dione, nunca consegui tal proeza).
Beijos e tranquilidade!!!
Fernanda disse…
Oi Fá, com quantos meses o Gu está mesmo? Sabe que assim que eu comecei a ntroduzir comida (com 6 meses) passei a ter alguma dificuldade com a amamentação e numa época achei que ía desmamar. Foi uma junção de fatores: volta ao trabalho, aparecimento dos dentes e das mordidas, diminuição da produção devido aos novos alimentos e finalmente a perda de peso dele que me fez ficar insegura. Por tudo isso comecei a dar leite em pó e ele simplesmente ODIOU. Assim fui mantendo o peito aos trancos e barrancos até a produção voltar a melhorar, até encontrarmos um equilíbrio e uma maneira de não ter mordidas. Agora com 1 ano comecei o leite em pó que é aquele praticamente igual ao normal e ele adora. Mas mesmo assim quer meu peito. Nem que seja para dar uma mamadinha de alguns segundos. Quer saber? Eu deixo, também vou deixar até ele não querer mais, sem stress, sem traumas. Se a hora dele desmamar chegou ele vai parar, mas acho que vale vc insistir bastante... Beijos
Fer, o Gu está com 8 meses e meio. Eu tenho bastante leite... hj é um daqueles dias que os peitos estão inchados e doloridos, mas ele se recusa a pegar. Eu vou oferecendo, sem muita obrigação (como eu estava fazendo) e vou deixar a critério dele. Mas, confesso, não estou muito feliz com isso, talvez conformada seja a palavra mais adequada!

Beijokas
**************************
Dione,

Eu tb não consigo ordenhar. Sofro de um bloqueio, só pode! Quando a Ana mamava no peito o máximo que eu consegui tirar (somando umas 10 vezes) foi 150ml. Só!
Do Gu eu tentei também... consegui 20ml...kkkkkkkkk
E eu sei que tenho leite, mas simplesmente ordenha manual, com bomba ou máquina, não rola!

Beijokas
Anônimo disse…
Pois sim... acho muito legal o seu comentário, especialmente quendo as mulheres simplesmente nem leite têm para dar aos seus filhos... essas também têm culpa?!

Foi só para saber....
Anônimo, não entendi seu comentário... mas vamos lá...

As mães que NÃO PODEM AMAMENTAR, aquelas que são portadoras de HIV, que fizeram alguma cirurgia no seio e que tiveram os dutos danificados, as que são doentes e dependem de medicamento, eu não recrimino. Eu não julgo...

As mães que ESCOLHEM não amamentar eu NÃO ENTENDO. Simples assim.

Porque, pra mim, amamentar (além de gestar) foi sim o ato mais sublime da MINHA vida de mãe. Mas isso sou EU que penso, da MINHA vida.

Abraço! ;)
Lu disse…
Oi Fabi,
Olha, não acredito que a mamadeira tenha sido a causadora do desmame.
O Thiago desmamou com 8 meses porque ele quis, e não fazia uso da mamadeira. Eu tb só conseguia dar o peito quando estava sonolento, depois nem assim. Bem do jeitinho que vc mencionou que passou com o seu menino.
Tb me senti mal com isso, o jeito é aceitar a decisão deles e seguir em frente. O importante é que vc consegui amamentar.
Bjs

Postagens mais visitadas deste blog

Adenóide

Ana Luiza sempre teve um sono meio agitado, mas eu achei que isso era dela. Mas dormindo com a gente, mesmo agitada, ela dormia.
Então, um belo dia, ela foi dormir na casa da avó e ela me perguntou como a gente conseguia dormir com a barulheira e agitação da Ana. Dei risada, porque achava que era coisa de avó, mas uma luzinha vermelha acendeu e comecei a prestar atenção nas madrugadas. 
Gente, que dó! Que MENAS MAIN! Ana Luiza ronca horrores, chega a ficar sem ar, respira só pela boca... Comentei com a pediatra e ela me disse que poderia ser adenóide. Lá fui eu "googlar" o que era essa tal de adenóide. Grosseiramente falando é uma "carninha" que se forma no fundo do nariz e que atrapalha a entrada de ar. Ela pode se resolver sozinha até os 6 anos, mas alguns casos resolve-se com uma cirurgia simples. Cirurgia = MEDO!
Fizemos o raio-X solicitado e apareceu um comprometimento de 2/3. 2/3!!!! PQP!!! Então, a pediatra prescreveu homeopatia para que fossemos acompanhan…

Doença da mão,pé e boca - Doencinha das Trevas

Sábado, casório pra gente ir. Quando é comecinho de tarde, Gu começa a apresentar uma febre muito da esquisita. Alta, sem nenhum outro sintoma. Um bichinho me cutucou, lembrei do bilhete que veio na agenda sobre casos de Roséola. Rá, só pode ser isso. Anti-térmico, colo, água, paciência. Adeus festerê noturno. Nossa balada da madruga será com um bebezão com febre. 
Quando é de noite, vejo que ele tem dificuldades pra engolir. Nem o mama vai direito. Dispenso a roséola e penso: "Garganta! Só pode!" Noite agitada, bebê com febre, dor, chororô. Seguimos em turno, eu e Rafa, dando conta do mal estar do mocinho. Quando brilha o Sol, simbora pro PS. A febre tinha dado trégua, mas garganta é dureza, muitas vezes só ATB resolve e ATB só com receita médica.
Fila, espera, várias crianças com o mesmo quadro. Mudança de tempo é nisso que dá. A plantonista nos atende, aquele protocolo normal, quando vê a garganta, dispara: "Olha só como está inflamada!". Parecia uma couve-flor…

Enjôo x Fome

Já estamos na 9ª semana de gestação. Nessas horas eu acho que o tempo se arrastaaaaaaaaa, mas tudo bem. A novidade, não tão novidade assim é que os enjôos não deram trégua. Parece até que pioraram... Oh, céus!


Eu acordo já com dores e com uma vontade horrenda de colocar tudo (?) pra fora. Mas ao mesmo tempo que estou super enjoada, eu quase morro de fome. Mas fome por comida, não por café da manhã. Eu tenho vontade de matar um pratão de feijoada com muita costelinha, bacon e arroz. Daí, penso nisso e passo mal... hahahahahaha... não consigo entender... sério!

Hoje mesmo, acordei e quase botei os bofes pra fora. Na frente da Ana Luiza. Imaginem a carinha de assustada que ela fez. Ainda bem que foi só alarme falso...


O que tem ajudado, pouco, é água bem gelada, com gás. Eu que estava achando que a Coca-Cola iria ser minha melhor amiga, me enganei. Até tomo, mas prefiro água com bolinhas - como diz a Donana. Parece que aquele fundinho doce do gosto da Coca me deixa ainda mais enojada.


Outras…