Pular para o conteúdo principal

Exceção

E a febre do Gustavo marcou presença por 5 dias. Isso mesmo, 5 dias.

Na quinta, levei o pequerrucho na pediatra. Diagnóstico: infecção de garganta. Saí do consultório com uma receita de ATB, antitérmico e remédio para desencatarrar. Rodamos 7 farmácias, até encontrar o ATB e começamos o tratamento a noite.

Sexta ele passou o dia relativamente bem, mas teve febrícolas que foram controladas com antitérmico. Mas de madrugada o bicho pegava. A febre subia, ia nas alturas, o terror de qualquer mãe. Remédio, peito, colo. Com a febre o narizinho trancava e ficava ainda mais difícil mamar. Foi péssimo.

Confesso que fiquei com o pé atrás com o diagnóstico de infecção de garganta, pois desde que a Ana nasceu todos os médicos pelos quais passamos eram categóricos ao afirmar que "bebês com menos de um ano de idade NÃO TEM infecção de garganta." Mas a pediatra me mostrou a garganta do pequeno e estava beeeem vermelha e irritada. Fiquei ainda pensando que poderia ser porque ele estava se esgoelando na consulta... vai saber!

Sábado, febrão de 39.6. Liguei pra pediatra que pediu pra esperar até domingo. Domingo, acordou bem e a febre voltou a subir perto do horário de almoço. Já deixei tudo esquematizado, se ele acordasse da soneca com febre, iria ao PS. Não estava nem um pouco confortável em entrar no 5º dia de febre. Não mesmo.

Dormiu e acordou quentinho: 38.5. Almoçou e rumamos pro PS. Por sorte, PS vazio, fui atendida rapidamente. Expliquei o quadro ao plantonista e ele já ia pedir um Raio-X do pulmão, mas foi começar o exame clínico pra me mostrar uma garganta inflamadíssima, com uma bela placa de pus. Sentamos e ele me explicou: "Fabiana, você já deve ter lido ou escutado que bebês antes de um ano, RARAMENTE tem infecção de garganta. Mas não é impossível. Toda regra tem sua exceção e você foi premiada. Pode ser que ele esteja com um germe resistente, por isso a febre persiste. Mas amanhã (segunda-feira) ele não pode ter nada de febre, nem baixa, muito menos alta. Hoje a noite completam 72h do início do ATB, se não sumir a febre, suspende o ATB oral e entra com o injetável." Ali mesmo ele fez a medicação pra febre e prescreveu o ATB injetável.

Fui pra casa mais aliviada, me sentindo mais segura por saber como proceder caso a febre ainda continuasse. Por sorte e de tanto eu ter pedido a Deus, só pode, na segunda ele acordou sem febre e melhor. Fiquei super feliz. Meu gordinho ficou livre de 3 injeções, ufa!!!! Ao mesmo tempo, esse episódio me fez rever alguns conceitos e morder a língua, lembrando que toda a regra tem sua exceção. Bebês abaixo de um ano podem ter sim infecção de garganta e eu aprendi isso de um jeito não muito legal... mas faz parte do SER MÃE.

A rotina está voltando ao normal, com exceção da rotina noturna que virou um caos, com acordadas constantes, choro e muito colo e mamá. Estou só a capa da gaita, o pau do pirulito, rezando pra essas noites malucas e insones passarem logo. Se eu estou cansada, imagina ele que tem as noites turbulentas e também não está conseguindo descansar direito, porque se ele está acordando é porque alguma coisa está incomodando, né?!

Fui!

Comentários

Carol Garcia disse…
oi fa,

tambem passei por isso co isaac bem pequeno, e fiquei cheia de dúvidas...
mas a ped dele sempre me deixpu bem segura e eu, mesmo indo ao PS, consultando homeopata e todo etcs que me cabiam, sabia que ela estava certa.

que bom que pequeno melhorou.

bjocas
Fernanda disse…
Oi Fá,
Poxa vida, tadinho do Gustavo...
Pois é também tinha este conceito de que bebês com menos de 1 ano não tem dor de garganta, mas né? Parece que com a gente tudo acontece...
Ainda bem que ele melhorou!!
Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

Doença da mão,pé e boca - Doencinha das Trevas

Sábado, casório pra gente ir. Quando é comecinho de tarde, Gu começa a apresentar uma febre muito da esquisita. Alta, sem nenhum outro sintoma. Um bichinho me cutucou, lembrei do bilhete que veio na agenda sobre casos de Roséola. Rá, só pode ser isso. Anti-térmico, colo, água, paciência. Adeus festerê noturno. Nossa balada da madruga será com um bebezão com febre. 
Quando é de noite, vejo que ele tem dificuldades pra engolir. Nem o mama vai direito. Dispenso a roséola e penso: "Garganta! Só pode!" Noite agitada, bebê com febre, dor, chororô. Seguimos em turno, eu e Rafa, dando conta do mal estar do mocinho. Quando brilha o Sol, simbora pro PS. A febre tinha dado trégua, mas garganta é dureza, muitas vezes só ATB resolve e ATB só com receita médica.
Fila, espera, várias crianças com o mesmo quadro. Mudança de tempo é nisso que dá. A plantonista nos atende, aquele protocolo normal, quando vê a garganta, dispara: "Olha só como está inflamada!". Parecia uma couve-flor…

Adenóide

Ana Luiza sempre teve um sono meio agitado, mas eu achei que isso era dela. Mas dormindo com a gente, mesmo agitada, ela dormia.
Então, um belo dia, ela foi dormir na casa da avó e ela me perguntou como a gente conseguia dormir com a barulheira e agitação da Ana. Dei risada, porque achava que era coisa de avó, mas uma luzinha vermelha acendeu e comecei a prestar atenção nas madrugadas. 
Gente, que dó! Que MENAS MAIN! Ana Luiza ronca horrores, chega a ficar sem ar, respira só pela boca... Comentei com a pediatra e ela me disse que poderia ser adenóide. Lá fui eu "googlar" o que era essa tal de adenóide. Grosseiramente falando é uma "carninha" que se forma no fundo do nariz e que atrapalha a entrada de ar. Ela pode se resolver sozinha até os 6 anos, mas alguns casos resolve-se com uma cirurgia simples. Cirurgia = MEDO!
Fizemos o raio-X solicitado e apareceu um comprometimento de 2/3. 2/3!!!! PQP!!! Então, a pediatra prescreveu homeopatia para que fossemos acompanhan…

Enjôo x Fome

Já estamos na 9ª semana de gestação. Nessas horas eu acho que o tempo se arrastaaaaaaaaa, mas tudo bem. A novidade, não tão novidade assim é que os enjôos não deram trégua. Parece até que pioraram... Oh, céus!


Eu acordo já com dores e com uma vontade horrenda de colocar tudo (?) pra fora. Mas ao mesmo tempo que estou super enjoada, eu quase morro de fome. Mas fome por comida, não por café da manhã. Eu tenho vontade de matar um pratão de feijoada com muita costelinha, bacon e arroz. Daí, penso nisso e passo mal... hahahahahaha... não consigo entender... sério!

Hoje mesmo, acordei e quase botei os bofes pra fora. Na frente da Ana Luiza. Imaginem a carinha de assustada que ela fez. Ainda bem que foi só alarme falso...


O que tem ajudado, pouco, é água bem gelada, com gás. Eu que estava achando que a Coca-Cola iria ser minha melhor amiga, me enganei. Até tomo, mas prefiro água com bolinhas - como diz a Donana. Parece que aquele fundinho doce do gosto da Coca me deixa ainda mais enojada.


Outras…